25/07/14

ROTAROOTS de julho: lugares que eu quero conhecer

Por Ana Carolina | Arquivado em viagens

Desde março não posto nada do Rotaroots, então tá na hora de criar vergonha na cara. Tenho que confessar que esse tema me deu vontade de vir correndo escrever, porque como ouvi por aí: viajar é como fazer tatuagem – você sempre acaba uma pensando na próxima.

Listei só cinco porque se não o post ficaria gigantesco. X)

Screen Shot 2014-07-15 at 6.38.08 PM

Orlando - Morro de vontade de ir pra Disneyworld desde adolescente. Fui à Disney Paris em junho, mas meu coração bate mais forte é pela casa do Mickey em Orlando. Aproveitar e passar um dia na Universal vendo a parte temática do Harry Potter também não vai me deixar triste, então me deixa ser clichê e dizer que esse com certeza vai ser o primeiro destino que conhecerei nos Estados Unidos.

Screen Shot 2014-07-15 at 6.43.05 PM

Dublin – Um casal de amigos muito querido foi morar por lá e, de tanta foto linda que eles mandam, fiquei doida para conhecer. A cidade parece ser linda, o clima me agrada… Frio, cerveja boa e músicos de rua: me aguardem! Sem contar que é pertinho de Londres e dá pra escapar e conhecer os Estúdios do Harry Potter. :D

Screen Shot 2014-07-15 at 6.45.51 PM

Itália – Italiano é uma das minhas línguas favoritas, acho a coisa mais linda. Imagina passar algumas semanas só ouvindo a língua? Ai ai. De quebra eu iria adorar conhecer Milão, Roma e algumas cidadezinhas menores. Bem aquela coisa de filme, as vilas, as fazendas, os campos a perder de vista… lindo!

Screen Shot 2014-07-15 at 6.33.40 PM

Brasília - Há anos quero conhecer a nossa capital e nunca me animo o suficiente para ir. Tá na hora de mudar isso, acho feio dizer que conheço as capitais de outros países e não a do meu. Sem contar que morro de curiosidade de ver os lugares onde tanta banda que gosto começou.

Screen Shot 2014-07-15 at 6.51.39 PM

Egito - Imagina ver uma pirâmide ao vivo? Eu imagino. Deve ser inexplicável a sensação de estar parado em frente à uma construção tão antiga e cheia de significados. Morro de medo de ir para o Egito, mas um dia eu pago aqueles pacotes bem turistões, com guias e translados cobertos e vou. Me espera, Esfinge!

Este post faz parte da blogagem coletiva do Rotaroots, um grupo de blogueiros saudosistas que resgata a velha e verdadeira paixão por manter seus diários virtuais. Para ler todas as blogagens coletivas do Rotaroots, clique aqui. Quer participar? Então faça parte do nosso grupo no Facebook e inscreva-se no Rotation.

Imagens: Orlando (Joe Penniston) | Dublin (Barry McGrath) | Itália (Andrea Pucci) | Brasília (Francisco Aragão)Egito (Boaz)
22/07/14

Roteiro: Lisboa – onde me hospedei

Por Ana Carolina | Arquivado em viagens

Lisboa não estava nos meus planos, mas quando fui comprar as passagens estava rolando uma promoção de ampliar o tempo de conexão na cidade de graça, caso eu voasse pela TAP. Juntando isso à vontade de rever a Mari pessoalmente e pronto, passagens compradas. :)

Tive ajuda da Mari para decidir onde ficar e ela logo me indicou a região da Baixa/Chiado. Essa é uma região central e SUPER turística, pertinho de tudo, com metrô, muita gente para tudo quanto é lado… a Mari não podia ter acertado mais na indicação. Ficar na Baixa/Chiado foi crucial para eu ter conhecido tanta coisa no pouco tempo que fiquei por lá.

Vista da sala comum do hostel: praça onde fica o Café A Brasileira e metrô.

Vista da sala comum do hostel: praça onde fica o Café A Brasileira e metrô.

Além de ter indicado a região, a Mari foi uma linda e me ajudou a pesquisar hostels também. Ela foi, entrou em alguns, anotou telefones e tudo mais. Uma querida. Infelizmente nenhum dos que ela tinha gostado estava com suítes liberadas (desculpa, eu e Henrique não topamos dividir banheiro com estranhos! haha), então acabei escolhendo o Lisbon Poets Hostel depois de ler indicações no HostelWorld e TripAdvisor e ter gostado das fotos de quem já tinha se hospedado por lá. A localicazação parecia ótima, as fotos mostravam um lugar arrumadinho, o preço estava convidativo… fechei rapidinho.

Logo depois que fechei tudo pelo HostelWorld, mandei e-mail para confirmar. E aí a minha surpresa: enviaram fotos da suíte em que eu ficaria e UAU. Ela era enorme, tinha até mini cozinha, com móveis novinhos, tudo bem decoradinho… não esperava por isso. Achei que seria uma suíte bem pequena, com um banheiro menor ainda, porém todo nosso. Hahaha.

Sala comum e cozinha: espaço comunitário para tomar café da manhã e socializar com os outros hóspedes.

Sala comum e cozinha: espaço comunitário para tomar café da manhã e socializar com os outros hóspedes.

Chegamos muito antes do horário de check-in, então deixamos as malas por lá e demos uma volta pela cidade. Estávamos acabados de cansaço e o passeio não foi muito longo. Voltamos, cochilamos na sala comum e esperamos um bom tempo pela liberação do quarto. Esse foi o único problema que tive com o hostel: pela reserva e por toda a manhã fui informado de que o check-in seria às 14h ou 14h30, no máximo. Quando deu esse horário fui informada de que o check-in seria somente às 16h e que esse era o horário especificado no último e-mail de confirmação que recebi (e somente nele). Na hora me estressei porque estava super cansada e queria tomar banho logo, mas lembrando agora isso definitivamente não estragou nada da viagem.

Nossa suíte: cama gostosa, bastante espaço, sofá, mini cozinha, quintalzinho, banheiro e pufe para leitura.

Nossa suíte (já meio bagunçada): cama gostosa, bastante espaço, sofá, mini cozinha, quintalzinho, banheiro e pufe para leitura.

A suíte não fica no mesmo prédio dos quartos coletivos, mas é bem pertinho. O prédio é tranquilo, o quarto é gostoso e exatamente como as fotos mostravam. A equipe do hostel é bem simpática e o café da manhã oferecido é simples, mas gostoso. Todos os dias o hostel oferece algumas atividades noturnas para quem está hospedado (algumas grátis, outras não). Eu queria ter participado da noite do fado, mas no dia ela atrasou, eu estava super cansada e ainda tinha que arrumar as malas para pegar o trem no dia seguinte. Acabei perdendo, mas parecia ser bem animada.

Fiquei poucos dias em Lisboa e estou doida para voltar com mais tempo. Com certeza reservaria o mesmo quarto novamente, foi uma ótima surpresa pro começo da viagem.

18/07/14

As 10 coisas mais legais de maio

Por Ana Carolina | Arquivado em top 10 do mês

Passei maio inteiro contando os dias para viajar, tava mega ansiosa. Nem lembrava que muitas das coisas que fiz nesse mês tinham sido nele, achei que tinham acontecido antes até. Hahah.

maio-14-a

01/05/2014 - Churrasco com as amigas. Cerveja, carne, fofoca e risadas. Melhor feriado! | 03/05/2014 - Ter a Pequena Buda passando o dia com a gente aqui em casa. Tocou guitarra, brincou no parquinho, quis tatuagem para ficar igual à mim… | 04/05/2014 - Aniversário da minha avó. Dona Nilze completou 90 com bolo e família por perto. | 10/05/2014 - Noite de comilança com casais queridos aqui em casa. Ver a Rafa é sempre uma delícia! | 17/05/2014 - Comemoração de aniversários e despedida de amigos que foram morar fora… noite engraçada, deliciosa e com o coração meio partido no final.

melhores-maio-14-b

18/05/2014 - Tive que correr para não ficar sem quentão esse ano, já que viajava no final do mês. Fomos com amigos até a quermesse perto de casa para eu não ficar com saudade da minha bebida favorita nessa época do ano. | 22/05/2014 - No dia 21 nasceu Estela, minha quarta sobrinha e irmã da Pequena Buda. Bebê mais linda! | 25/05/2014 - Fomos para a praia com alguns amigos. Estava chovendo, frio… aproveitamos para comer muito e jogar Uno. | 29/05/2014 - Finalmente embarcamos! Que maravilha ter finalmente chegado o dia! | 31/05/2014 - Portugal! Essa foto é da Quinta da Regaleira, mas nesse top 10 Portugal entra como um todo: amiga querida, namorado dela que é gente finíssima e fez um super jantar pra gente, a cidade, o povo, os passeios…

16/07/14

Economizando na hospedagem: Hostelworld e airbnb

Por Ana Carolina | Arquivado em viagens

Nunca viajei muito, então sempre fiquei perdida com descrições de quartos, diferenças entre hotel e hostel e as vantagens em se alugar um apartamento de temporada. Tive que aprender tudo na marra, li várias dicas por aí e resolvi juntar em um post algumas questões para as quais não encontrei respostas em lugar algum.

Para começo, recomendo esse post da Camies. O post me ajudou bastante a entender um pouco melhor como começar a procurar onde ficar.

Como a viagem seria longa e a gente queria um quarto não muito luxuoso mas com o mínimo de conforto (dividir banheiro com desconhecidos está fora de questão, baby. Desculpa, mas não sou tão desprendida assim), definimos que procuraríamos quartos em hotel, suítes privativas em hostels e apartamentos que fossem alugados inteiramente para nós. Chatos? Talvez. Sem espírito mochileiro? Sim, senhora. Sabíamos que não sairia tão barato assim? Com certeza. É isso o que acontece quando você começa a viajar perto dos trinta, a gente já não topa tanta coisa assim. Hahaha. :p

Tirei alguns dias para pesquisar sobre cada destino. Fiz assim porque não consigo pensar em muita coisa ao mesmo tempo e me confundiria se procurasse a hospedagem para todos os lugares em um único dia.

A primeira coisa que eu fiz foi ir ao Booking.com e pesquisar. Aí veio o balde de água fria: os hotéis que estavam dentro do meu orçamento não pareciam muito legais. A maioria era meio velho ou ficava em lugares mais afastados. Como gostamos de andar muito e preferimos fazer isso à pegar muito transporte coletivo durante as viagens, desisti.

hostelworld

Uma amiga me indicou o Hostelworld e como eu já passei boa parte da vida vendo minha irmã se hospedar em hostels (ou albergues, como você prefira chamar) e gostar, fui pra lá. O site é basicamente igual ao Booking.com, com a diferença óbvia de que só lista hostels na busca. Você coloca local, data, número de hóspedes e algumas outras coisas essenciais para você (eu sempre buscava suítes privadas para duas pessoas) e o site lista para você todos os parceiros deles com quartos disponíveis. É fácil, simples, rápido e você faz toda a transação pelo próprio site. Claro que antes de fechar é sempre bom checar as qualificações de antigos hóspedes tanto no Hostelworld quanto no TripAdvisor, entrar no site do hostel para checar mais fotos e tudo mais.

No final das contas a única hospedagem que fechei usando o site foi em Lisboa, em todas as outras cidades a disponibilidade diminuía muito rápido e perdi algumas oportunidades que eu tinha gostado mais. Então fique de olho: se você gostou de algum hostel, checou tudo e acha que ele é o certo para você, feche o negócio logo.

Depois de fazer o pagamento pelo Hostelworld mandei e-mail de confirmação para o e-mail do hostel (peguei no site deles), só para garantir. Tudo confirmado, rápido e bem prático.

airbnb

Já em Paris, Berlim e Amsterdã aluguei apartamentos pelo airbnb. Como eu nunca tinha ido à nenhuma das cidades, aproveitei e usei o guia de bairros deles para escolher o bairro onde eu queria ficar. O guia é ótimo, bem prático e cheio de informações. Pena que para Amsterdã não tem, então para lá tive que pesquisar em alguns blogs e encher o saco da Paula. Depois de ver os bairros que eu tinha gostado mais, falei com gente que já foi às cidades para confirmar se eles eram legais mesmo. Acertei na escolha de todos. :)

Tenho que confessar que fiquei com medo de alugar apartamentos diretamente dos proprietários, mas como só tinha ouvido relatos bons e contentes de quem usou, arrisquei. A primeira parada era Paris e como eu voltaria para lá por mais dois dias antes de pegar o avião de volta para o Brasil, já reservei o mesmo apartamento para os dois períodos.

Por ser apartamento, geralmente os donos são mais flexíveis com os horários de check-in e check-out. Agendei com os donos os horários antes mesmo de sair do Brasil e só tive dois problemas: em um não tinha ninguém esperando a gente no horário marcado e em outro a dona resolveu que precisava do apartamento antes do horário que havíamos combinado para check-out.

Para fazer a reserva no site você tem que solicitar a aprovação do dono do apartamento. Nessa hora ele vai checar o seu perfil, então é bom que você tenha preenchido bem o seu. Ele também vai ler referências e reviews de outros lugares que você já alugou. Feito isso, ele pode aprovar ou não a sua estadia. Essa é a parte mais chatinha, já que você tem que esperar por uma resposta do dono e ela pode ser negativa. O próprio site te incentiva a enviar pedidos e dúvidas para mais de um apartamento, sempre. Aproveite essa hora para tirar todas as dúvidas e confirmar com o dono o que para você é imprescindível (eu perguntava sempre sobre wi-fi, máquina de lavar roupa e roupa de cama/banho). Achei que tinha coberto tudo com as minhas perguntas, mas não fui bem específica na sobre a máquina de lavar: em um dos apartamentos até tinha uma, mas não havia lugar para pendurar as roupas (e eu estava apenas com uma mochila pequena com roupas!). Enfim: pensei bem nas perguntas, cheque tudo o que é importante para você e só então feche a reserva.

O pagamento é feito pelo próprio site (que cobra uma taxa em cima do valor da reserva), o dono do apartamento só recebe o dinheiro 24h depois de você ter efetuado o check-in, para dar mais segurança ao hóspede. O processo todo é bem tranquilo e fácil. É mais demorado do que reservar um hostel ou hotel porque você depende das respostas do dono do apartamento e ele pode demorar um pouco com isso.

Talvez por ser na Europa, me decepcionei um pouco com os apartamentos: dois deles eram muito mais velhos e mau cuidados do que pareciam nas fotos. Isso porque não me liguei que na Europa a maior parte dos prédios são antigos, né? E aí juntou a falta de vontade dos donos em deixar o apartamento bem conservados e deu no que deu. Vou falar melhor sobre cada apartamento quando chegar aos posts sobre os destinos, mas tenho que dizer que hoje eu não sei se me hospedaria usando o airbnb novamente. Peguei um pouquinho de trauma.

Conversei com alguns amigos que tinham me indicado o site e todos eles usaram para viajar pela América, então não sei se os problemas que tive foram por europeus terem costumes diferentes dos nossos ou se a minha expectativa que era muito alta. Você já usou os serviços do site? Gostou dos apartamentos que alugou? Me conta!

14/07/14

6 anos de Futricô

Por Ana Carolina | Arquivado em aleatórios

Oi, voltei! :)

Acabei aproveitando a viagem que nem deu tempo de voltar aqui para postar, como eu disse que faria. Ainda estou botando a vida em ordem, então posts sobre a viagem também vão demorar um pouquinho.. mas hoje, olhando meu calendário, vi que o blog completa 6 anos. Engraçado, para mim parece muito mais tempo.

seis

Nesses 6 anos, tive outros 6 blogs. Dois deles ainda estão vivos, os outros quatro acabaram quando tinham que acabar. O Futricô resistiu, mesmo eu querendo trocar de nome sempre e nunca encontrando um nome novo (uma hora encontro um, torçam por mim. hahaha). Resisitiu a fases sem posts e, sinceramente, só está aqui até hoje porque ele acabou sendo meu diarinho virtual querido. Tenho um xodó pelo blog e, por mais que eu suma de tempos em tempos, sempre sinto falta de postar aqui. É meu blog queridinho, o menos visitado (mas com visitantes de tanta qualidade que valem por milhares), o que me trouxe gente querida, o que tem os leitores mais fiéis. É sempre uma alegria quando alguém me diz que gosta desse blog, justamente por ele ser onde eu mais sou eu mesma.

Muito obrigada por esses 6 anos de convivência. Tenho certeza de que vocês sentem que me conhecem muito bem e eu sinto a mesma coisa com vocês, que sempre comentam aqui. <3

17/06/14

Sobre fazer 30 anos

Por Ana Carolina | Arquivado em diarinho

Hoje estou completando 30 anos. Aquela idade que aos 15 anos eu imaginava que seria quando eu já estaria casada, com filhos, com uma casa com jardim grande, cachorros e com toda aquela cara de adulta que há 50% da minha vida eu imaginava ser o ideal para quem tem tanta idade (ha!).

antique-car-30

Tenho boa parte do que eu esperava ter com 30, mas estou longe de ter tanta certeza sobre tudo quanto achei que eu teria. A única certeza é de que gosto de como estou. Eu poderia perder alguns bons quilos, ter mais dinheiro, não sentir dores no joelho… mas nada disso tira o brilho dos 30 invernos que vivi até agora.

Aliás, inverno: tô com saudade. Esse ano te abandonei, mas vê se me espera. Faça isso como um presente atrasado de aniversário pra mim. <3